combustion4

Combustión (2013) – CineFiesta

Hoje em dia vivemos num mundo onde copiar receitas é lei. Se o bacalhau com natas estiver bom, alguém irá copiar e dizer que é dele. Muitas vezes até copiamos coisas menos boas, desde que sirva para o efeito. Quem já não copiou um exame por alguém manifestamente pouco inteligente, só porque efectivamente não tinham estudado nada.

Ao ver o filme Combustión, a primeira coisa que apetece dizer é: Estudassem!

Combustión é uma espécie de Velocidade Furiosa, em união de facto com o filme 60 segundos, mas passado na Catalunha.

Ari (Adriana Ugarte) é uma femme fatal que trabalha para um bando organizado – liderado pelo seu boy, Navas (Alberto Ammann), e a sua função é seduzir homens e deixar o trinco aberto, para que os seus amigos entrem e roubem. Tudo muda na vida de Ari quando o seu alvo é Mikel (Álex Gonzalez), um ex-piloto de corridas prestes a casar, mas que se apaixona pela “personalidade” de Ari.

Ora, para além disto tudo, o filme mete uma banda sonora cheia de dubstep e, mais importante que isso, um sonho. O sonho (de Ari e Navas) é fazer um último golpe e ir para uma cidade longínqua fazer “xuning”. Essa metrópole do “xuning” é: Lisboa (risos).

A juntar a esta pérola oferecida pelo filme, somos presenteados com corridas com comboios da CP e clichés a cada segundo que passa. A verdade é que, em combustión, o objectivo é entreter tentando-se colar à estilização típica de um filme americano sobre velocidade. Ao tentar essa colagem perde alguma essência do cinema espanhol. Pior que isso, existe sempre a sensação que já se viu aquilo mil vezes. Os diálogos são forçados e o final é preguiçoso.

Ainda que as corridas sejam bem coreografadas, ficam a milhas de qualquer um dos Velocidade Furiosas e do 60 segundos. Havendo uma enorme falta de carisma.

No entanto, é possível ver neste filme o pior final de namoro de sempre, fazendo a “labreguice” de Jorge Jesus parecer filosofia existencialista.

Veredicto: Quem gosta da Catalunha e de mamas espanholas, veja. Quem gosta de coisas boas (o que é duvidoso, atendendo a que estão a ler esta crítica), veja outro filme.

image

Este filme passou em Porutgal na CineFiesta Espanhola, no passado dia 25. Não tem estreia prevista em sala (ufa)

ARTIGOS POPULARES

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com