vampa-weird-teehee

Academia de Vampiros (Vampire Academy, 2014)

Academia de Vampiros é o filme mais recente da linhagem de cinema de vampiros, que parece ser uma moda para  ficar. Felizmente, este consegue superar alguma concorrência pelo simples facto de ser humilde o suficiente para não se levar a si mesmo demasiado a sério.

A história trata de uma vampira da realeza e da sua guardiã. Com este par o espetador fica a conhecer o mundo da obra baseada nos livros de Richelle Mead. Aliás, uma das melhores caraterísticas do filme é toda a mitologia que é apresentada ao espetador, que, sendo minimamente original, sabe a uma lufada de ar fresquinho (não chega bem
a fresco). Como se pode calcular, existe uma academia que os vampiros e os seus guardiões/noviços frequentam – e que é praticamente uma versão de Hogwarts antes de levar obras – com todo o drama dos adolescentes, bullying e namoriscos a irromper em chamas por todo o lado. É de acrescentar também que o CGI e as sequências de luta são de uma qualidade bastante má – o Spoon, que é míope, quase conseguia ver as cordas a puxar os atores a meio de batalhas pela sobrevivência. A representação é oscilante, com os personagens principais ora a mostrar o que valem ora a parecerem absolutamente estranhos à câmara, oscilações provenientes também do guião: os diálogos são geralmente ou pirosos ao ponto de fazerem o espetador rir ou, quando bons, têm qualidade (acontecimento escasso) para fazer rir. O segredo é pensar nisto como um filme de comédia.
Talvez o mais surpreendente seja que, embora Academia de Vampiros tenha mais defeitos do que deveria ser permitido, haja pequenas irrupções de qualidade – quer seja na história, na representação ou no disparate – que mantêm a sala de cinema entretida e com dificuldade em dizer que este é um filme odiável – mau sim, odiável não.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com