drinking buddies

Drinking Buddies (2013) – Indielisboa 2014

Drinking Buddies é um filme de 2013 realizado por Joe Swanberg. Quem está familiarizado com as suas obras sabe que ele é, atualmente, uma das maiores referências de mumblecore, que consiste num movimento artístico do cinema independente americano, que retrata a vida de jovens adultos, geralmente recém-licenciados, criando filmes de baixos orçamentos, com recurso ao improviso. Embora esta obra não possa receber exatamente essa classificação, para o público mais alternativo é evidente a ressonância desse estilo, já que o argumento não possui praticamente narrativa, concentrando-se mais na vida quotidiana das suas personagens.

A “história” gira à volta de Kate (Olivia Wilde) e Luke (Jake Johnson), e da sua amizade e das relações amorosas que estes mantêm, com Chris (Ron Livingston) e Jill (Anna Kendrick), respetivamente. Todos os atores envolvidos representam de forma eficaz os papéis a eles concebidos. No entanto, se a qualidade interpretativa da dupla de protagonistas femininas já não é novidade, infelizmente, a falta de versatilidade nos personagens de Jake Johnson, torna impossível de perceber até que ponto ele conseguiria trabalhar fora deste género de papéis, atendendo a que todas as suas personagens se assemelham aquela que interpreta na série New Girl.

A um nível mais técnico, para além das influências do realizador, é possível notar uma abordagem minimalista a nível dos locais de filmagem, já que se trata mais duma character piece. A maioria das personagens são fáceis de se identificarem com o espetador, sendo estas muito semelhantes a alguém real. Infelizmente, este aspeto pode ser uma faca com dois bicos, já que por vezes as atitudes que tomam têm um caráter depreciativo desta geração em específico, caraterística típica dos cineastas que possuem raízes no mumblecore. Devido a um retrato geracional de falta de rumo e objetivos, este pode ter duas diferentes reações: Ou se identifica de mais, e acaba por não gostar da película, ou considera que este tipo de caraterização é excessivamente alienada da realidade que conhece, e acaba por descartar esta visão como maliciosa e “inteletualóide”.

Assim, embora seja o retrato de certo tipo de indivíduos, em pontos torna-se excessivamente generalista, tendo uma visão demasiado negativa e pouco razoável da geração a que supostamente se dirige.Se se gosta do trabalho prévio de Swanberg, este não foge muito à regra, apenas possui um melhor orçamento. Mas para o público mais geral fica o aviso que se trata de um filme lento e com uma visão ácida da realidade.

ARTIGOS POPULARES

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com