slide_401992_4982738_free

Top 5 casais românticos (ou mais ou menos isso)

Como hoje é o dia dos namorados, o Spoon traz até vós os cinco casais mais românticos em todas as plataformas. No entanto, fica o aviso, trata-se de uma lista pessoal, e como tal pode ser que os casais que sejam considerados pelo leitor não estejam incluídos.

Holly Golightly e Paul Varjak (Breakfast at Tiffany’s, 1961)

valentines day 1

Sem dúvida uma história melancólica. Ela tem um passado repleto de esqueletos no armário, ele é um gigolô. Porque entram na lista do Spoon?

Apesar de todo o sofrimento e tristeza que faz parte da vida de ambos, conseguem encontrar refúgio um no outro. Outra razão baseia-se no facto de, como em muitas relações, ela cresce a partir de amizade e respeito mútuo, em vez do típico meet cute. Sem dúvida um clássico para todos os fãs de cinema.

Morticia e Gomes Adams (1976, 1991, 1993)

valentines 2

Num media tão saturado com o estereótipo da dona de casa frustrada e marido sem noção, é irónico pensar que um dos casais mais funcionais do grande e pequeno ecrã parte de duas personagens fora do que é considerado “normal”.

Estes dois apoiam-se e apesar dos longos anos de casamento ainda se comportam como apaixonados, e o Spoon gosta, fazendo com que este casal irreverente mereça um lugar neste top.

Donna Pinciotti e Eric Forman (That ’70s Show, 1998-2006)

valentines day 3

Todos se lembram do que é ser adolescente e as dores de cabeças associadas ao processo. Todos também se lembram da girl next door.

Esse é o argumento desta série que segue a vida de Eric, um rapaz efeminado para a época em que cresceu e super nerd. Dona é uma rapariga moderna e com ambições, o que os fazem casal surpreendentemente unido. Isso e as peripécias típicas de quem está a passar pela adolescência são a razão pela qual merecem uma posição nesta lista.

Katarina Stratford e Patrick Verona (10 Things I Hate About you, 1999)

valentines day 4

 

O que acontece quando os anos noventa tentam reinterpretar uma das peças mais problemáticas de Shakespeare? Ouro!

Katarina e Patrick funcionam. Ambos são temidos no secundário pelos seus colegas, embora por diferentes motivos, e, quando a irmã mais nova de Katarina os tenta juntar não é apenas material para uma grande comédia, mas também para o desenvolvimento de personagens interessantes e com profundidade. Melhorando o material de origem.

Lizzie Bennet e William Darcy (The Lizzie Bennet Diaries, 2012)

valentines day 5

It is a true universly aknowlege que o romance de Jane Austen Orgulho e Preconceito é o avô de todas as comédias românticas. Por isso o Spoon não poderia deixar de fazer uma lista romântica sem o colocar aqui.

Com um formato pouco convencional (vlog da perspectiva de Lizzie) ficamos a conhecer o mundo destas personagens através de um narrador pouco fiável. No entanto, a maneira como as personagens estão escritas é impossível não nos identificarmos com as mesmas e ver a evolução de uma das histórias de amor mais antigas de sempre contada de uma forma impessoal, parecendo quase uma conversa com alguém conhecido.

Menção Honrosa:

Eu Amo-te Phillip Morris (I Love You Philip Morris,2009)

Jim Carrey e Ewan McGregor são dois dos atores (injustamente) mais ostracizados pela academia, sem que o seu talento seja posto em causa. Aqui formam o par mais deliciosamente improvável da sétima arte, numa pérola do cinema demasiado à frente do seu tempo. Ao contrário do que a capa deixaria anteceder, Eu Amo-te Philip Morris é uma obra de amor, com uma sensibilidade fora do comum e que consegue ser engraçado, sem nunca cair no ridículo. Juntos Jim e Ewan fazem um dos pares mais enternecedores da última década.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com