a_night_at_the_roxbury_1_1024_wallpapersuggest_com-1024x768

A Night at the Roxbury (1998)

Pegar num sketch recorrente – de poucos minutos, que consistia em ouvir o hit “What is love”, abanando a cabeça como se de epilepsia se tratasse – e transformar num filme de hora e meia, é de mestre. The Roxbury Guys era, no final da década de 90, um skit (sketch de comédia) no programa Saturday Night Live (SNL). Durante uns poucos minutos víamos  Will Ferrell e Chris Kattan oscilar a cabeça ao som da música, nas mais diversas situações e com os mais diversos convidados (como Jim Carrey).

Por motivos que nem a ciência sabe, nem a bíblia explica, aquilo tornou-se grande; tão grande ao ponto de se criar um filme baseado nisso: A Night at the Roxbury (com um espantoso metascore de 26/100). Agora vocês perguntam: Grande Spoon (são vocês que dizem), qual é a relevância deste filme num site que cita intelectuais como Edgar Alan Poe e Michael Bay?

Resposta: Porque o filme nasce de uma premissa tão parva que se torna cómico.

(Re)citando Seinfeld “It`s about nothing” e sobre nada segue. As gags são ridículas, o acting execrável (especificamente o de Chris Kattan, talvez dos atores cómicos, menos cómicos de sempre), mas no entanto é impossível parar de ver.

Com uma banda sonora kitch, que às tantas perde a sua linha condutora e passa de disco para pop, possui uma alma só explicada com a existência de Belzebu, pois os seus poderes atrativos tornam-se malignos e aleijam o intelecto.

Apesar de ser complicado resumir uma história, que de história pouco ou nada tem, tentemos:

Steve Butabi (Will Ferrell) e Doug Butabi (Chris Kattan) são dois irmãos na casa dos 30, virgens, e com um sonho de abrir um clube noturno. Para isso, usam todas as suas capacidades de entrepreneurs e de sedutores que, basta olhar para o poster do filme para perceber, escasseiam mais que a carne num estômago de um vegetariano.

Assim, vão seguindo a sua vida, tentando conquistar raparigas e usando os seus truques de dança (a melhor parte do filme) para deslumbrar audiências.

Caso tenham menos de 3 anos (o que seria muito estranho, pois estariam a ler) este filme é para vocês, tal é a quantidade de luzes policromáticas ao longo de 80 minutos. Se forem epiléticos não vejam, pelas mesmas razões.

Será isto trash, ou só mau? Decidam vocês.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com