Night Moves (2014)

Night Moves é um filme sobre três ativistas que anseiam fazer uma declaração num mundo onde a tecnologia ultrapassou a natureza. Josh (Jesse Eisenberg), Dena (Dakota Fanning) e Harmon (Peter Sarsgaard) reúnem-se para executar o protesto mais marcante das suas vidas: explodir uma das barragens do rio local, ou seja, destruir um símbolo do consumismo.

É o quinto filme realizado pela aclamada Kelly Reichardt, criadora de filmes tão em sintonia com o mundo natural que não é surpresa que se tenha voltado para o universo da ecologia e do eco-terrorismo.

A narrativa delicadamente cronometrada do cuidadoso planeamento do ato terrorista ocupa a primeira metade do filme. Enquanto a primeira hora é de suspense, a segunda detalha a precipitação inevitável do grupo e a sua consequente paranóia.

O filme constrói tensão através do impacto cumulativo de momentos aparentemente menores. Assim cria-se um ambiente tão denso e nervoso, resultante do sentimento de nervosismo dos personagens que acaba por afetar também o espectador. O ambiente torna-se saturante e pede uma mudança de registo.

Os argumentistas não focam a sua narrativa em discursos políticos violentos ou mensagens ambientais. Estas são as pessoas que sentem que os protestos não recebem a atenção que os problemas necessitam e por isso tomam medidas pelas suas próprias mãos.

Como se poderia esperar, Reichardt evita clichés fáceis de suspense ou mesmo respostas. Os grandes eventos ocorrem fora da tela e é dado espaço criativo ao espectador. Em Night Moves, como em todos os filmes da realizadora, o que importa não é apenas o incidente, mas o seu build-up e acompanhamento e, novamente, ela toma uma decisão com o final que vai decepcionar alguns com sua ambiguidade, mas emocionar aqueles que estão dispostos a aceitar o seu desejo de trabalhar mais em círculos do que em parágrafos.

A palavra “Moves”  mais parece ser um equívoco pois movimento é algo que não existe ao longo do filme. Este é demasiado lento e os tempos mortos acabam por ser frustrantes embora se perceba que esta escolha tenha a finalidade de construir o ambiente subreptício e escuro.

Night Moves é um dos filmes mais literalmente escuros deste ano. Assim, muito do que é iluminação é originada on-set utilizando, por exemplo, os faróis de um carro, as luzes de um barco, a fraca luz da lua… Este não é um daqueles filmes brilhante em que a lua origina uma tonalidade que nunca poderia ter no mundo real. É um filme sobre pessoas que se deslocam na escuridão, dispostas a arriscar pelo que acreditam, mas somente sob o manto da noite.

São feitos todos os esforços para que Eisenberg apareça em quase todos os planos (obviamente por ser o mais talentoso do elenco). Dar este protagonismo a Eisenberg origina uma falta de desenvolvimento das outras personagens. Tornam-se planas, sem interesse psicológico e neste sentido o filme perde alguma qualidade.

Night Moves enfrentou acusações de plágio. O filme apresentaria grandes semelhanças com o romance The Monkey Wrench Gang, cujos direitos já tinham sido comprados com o intuito de se realizar uma adaptação cinematográfica.

João Peixoto

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com